10.20.2009

ARNALDO ANTUNES CAI NO IÊ IÊ IÊ

Iê iê iê é uma palavra que não está no dicionário, mas todo mundo sabe o que significa. Música jovem de uma época, com seu repertório de timbres, trejeitos, colares, carros e cabelos, o termo traduz um estilo que parece ter ficado parado no tempo, como se fosse um nome que se dava ao rock'n roll antes dele se chamar rock'n roll. 
Iê Iê Iê nas palavras de Arnaldo Antunes: "Eu, que, em geral, decido os títulos só depois dos trabalhos concluídos, sabia dessa vez, desde o início, que queria fazer um disco de iê iê iê, chamado IÊ IÊ IÊ. Um pouco pelo sabor das coisas que vinha compondo, um pouco pelo desejo de voltar a uma sonoridade mais dançante, depois de dois discos gravados com uma formação mais leve, apenas com instrumentos de cordas (violões, guitarras, baixo) e piano (substituído no AO VIVO por teclados ou sanfona); sem bateria nem qualquer instrumento de percussão."
"As referências são muitas: Surf Music, Jovem Guarda, a primeira fase dos Beatles, trilhas dos filmes de faroeste, o twist, Rita Pavone, programas de auditório e todo um repertório da cultura pop que se traduz em canções contagiantes e de apelo direto.

Gosto da idéia de dar a um disco o nome de um gênero. Lembro do Rock'n' Roll, de John Lennon, que me marcou fortemente."


2 comentários:

RUI disse...

Acho que a única coisa que marca mesmo é ferro quente. O resto é pra encher linguiça/coluna de jornal e revista. Abraços, Werneck

Lina Faria disse...

Não é o caso do Arnaldo que é um pesquisador sério e há muito falava em fazer um trabalho sobre o iê iê iê. Afinal, "Sonifera Ilha" era iê iê iê puro.
Adoro e respeito muito o trabalho dele.