11.09.2009



Sábado, dia de cinema e pipoca, dia de platéia fácil, que vai pra onde o filme levar, sem muita crítica ou resistência. Por isso mesmo escolhi bem o sábado para assistir ao último Tarantino.  E fiz muito bem, porque a interação dos espectadores é um ingrediente fundamental nos seus filmes. Ele manipula o público desde os créditos iniciais, e com que precisão de ritmo. Nunca deixa a bola cair. E a platéia junto, como numa montanha russa, vai pontuando com ohs! e ahs! a cada escalpo retirado, e mesmo os maiores absurdos são relevados. Cinemão. De brinde ainda um Brad Pitt hilário. Quem não foi pode ir sem medo de ser feliz.

2 comentários:

Maria Taccari disse...

Bom, muito bom!!!
Só precisei fechar os olhos em algumas cenas, mas normal em se tratando de Tarantino.

Eduardo P.L disse...

Muito bom! Apesar, e neste caso, um Bred Pitt suportável, e até hilário.